Batata Sem Umbigo

31 de dezembro de 2009

26 de dezembro de 2009

18 de dezembro de 2009


E de repente acordou e não conseguiu controlar a imensa vontade do choro que brotara do pé de seus olhos, assim como uma criança manhosa que desaba em lágrimas após ter deixado o doce cair no asfalto, não controlava os soluços que pareciam cada vez mais fundos no peito, não sabia ao certo o que acontecia, com a vista embaçada observava a parede branca de seu quarto e um sentimento de vazio dominava sua mente, cambaleou até a porta e trancou-a para que ninguém presenciasse esta cena absurda, sentia-se como um jesus na cruz tendo que suportar todas as dores da humanidade, e mesmo não acreditando em anjos olhou para o teto implorando misericórdia, e chorou mais e mais, até que sua camisa se encharcasse e o nariz ardesse de tanto escorrer viscoso ranho, sentiu-se como os velhos que choram à toa pelos tempos passados, como as mães que perdem seus filhos prematuramente, e os enamorados que se separam indefinidamente mesmo querendo permanecer juntos, chorou pelos pobres que moram nas favelas sitiadas, pelos que passam fome e pelos que precisam de umas doses de pinga pela manhã para continuarem vivendo, chorou pela borboleta que só vive um dia e pelos animais em extinção, pela flor que amassara no dia anterior, chorou também as lembranças de quando era criança e não sabia muitas coisas da vida, chorou a vida, a morte e as incertezas e reticências, chorou também de felicidade mesmo não entendendo porque o fazia, chorou tanto e tudo que seus olhos secaram ao passo que seu quarto vinha alagado, e não sabendo nadar, morreu afogado de tanto chorar.

17 de dezembro de 2009

16 de dezembro de 2009

Dia a dia

Barata Tonta




Essas carismáticas personagens foram criadas após uma esperiência real, em que eu e um grande amigo, após bebermos todas, ficamos em estado de letargia deitados no chão, com pernas e braços pra cima, nos imaginando como baratas e tentando compreender o mundo através de seus olhinhos. Deu nisso.

11 de dezembro de 2009

10 de dezembro de 2009

9 de dezembro de 2009

No Banco


Após uma hora e pouco na fila de um banco, veio esta idéia...


7 de dezembro de 2009

O Cão Vadio

sentado na sarjeta
um cão vadio se aproxima lentamente
a cabeça baixa e os olhos fundos
em busca de um afago sem compromisso
dou-lhe alguns tapinhas sobre a cabeça
e faço um cafuné
três ou cinco movimentos
ele aceita sem tirar seus olhos dos meus
ao fim, se sacode todo
e vai embora
em busca de alguma sacola com lixo
jogada em outra sarjeta
para fazer seu desjejum

4 de dezembro de 2009

Grilo




(Seleção Grilo: duas tirinhas já publicadas na Miséria n° 2, e uma inédita)

3 de dezembro de 2009

2 de dezembro de 2009

Encontro Ancestral


Sobre a vida e a morte
meus pensamentos divagam
até o momento sem precedentes
do encontro com a barata
parada no meio da rua
Ela fitou-me rasteira
com suas antenas beliscando
as pontas de meus dedos dos pés
Fiquei exitante pensando
se mataria ou deixaria escapar
a pobre diaba que eu estava quase por me afeiçoar
Não que fosse um gesto solidário
deixar viver um ser tão inferior,
mas pra que matar assim sem pudor
alguém que não escolheu cruzar meu caminho
e queria apenas se alimentar do lixo
que deixei jogado na rua?
No fim, sem muita reflexão,
sem muito pensar e nenhum cuidado,
acabei pisando na barata
Pra garantir meu eu superior;
pra continuar um caminho tortuoso;
pensando no sabor nem sempre glorioso
da vida
e na obscuridade daquilo que parece mesmo ser o fim,
a morte

1 de dezembro de 2009

Conversa Franca

Série completamente baseada em fatos reais... as coisas que se ouve por aí... magistralmente colorizada pelo paint.


30 de novembro de 2009

Site da Miséria


A revista Miséria tá cada vez mais chique...
além da Veja estar tentando pegar um pouco do nosso filão...

agora temos até site...




o site está em construção, mas já dá para conferir uns materiais...


e não se esqueçam de visitar os blogs:


miseriahq.blogspot.com


cancropolis.blogspot.com


ricardofloqui.blogspot.com


Há braços...

Coisas da TV


Tentativa do balacobaco de unir desenho com fotos...

27 de novembro de 2009

Adão




O cu tem a ver com as calças!

Estava eu lendo as teses grouxo-marxistas do Bob Black, um cara muito doidão que escreve muito bem e tem idéias muito bem sacadas (o que eu quero dizer com tudo isso, é que eu recomendo o cara), quando me deparei com a seguinte passagem:

"ENTEDIADO DE NOVO? Por que não sacudir sua jaula? Proponho um diálogo dos revoltados, uma conspiração dos iguais, uma política do prazer. O nosso é o poder anômico do pensamento negativo e da risada corrosiva. Os indisciplinados, em meio aos pacientes de hospício, só têm a si próprios e, possivelmente, uns aos outros. Vamos nos reunir. A escolha é sedição ou sedação. Para qualquer número de jogadores."

Depois de chorar de emoção notei o quanto essa passagem me lembra a música "Discurso ou Revolver" do grupo de rap Facção Central.





Interessante como ambos textos, o do Bob e a música da Facção são negadas pelos grupos ditos intelectualizados. É melhor ignorar o primeiro e criminalizar o segundo, quando ambos contribuem muito mais para a reflexão das coisas do cotidiano do que o Jornal Nacional.
Infelizmente, a realidade é muito mais cruel do que as cenas da novela, chocar-se se faz necessário.

26 de novembro de 2009

25 de novembro de 2009

Ryotiras

Um quadrinista genial...





Soluços

HQ originalmente publicada impressa em um fanzine caseiro de minha própria autoria. A história basicamente é uma melação que tem como base fatos reais... afinal, quem nunca se incomodou com um maldito soluço. Espero que vocês gostem.






24 de novembro de 2009

BUR(r)OCRACIA + charge do Quino


no mar da papelada
nado de braçadas
azul esferográfica
assinaturas timbradas
ordem de fachada

em coro grampeadores pregaram
as areias da ampulheta
para nascer foram necessárias
três vias autentificadas
em cartório

não podemos fazer nada
não há nada a fazer
diz a voz de taquara rachada

aos infernos! aos infernos!
por acaso meus braços estão amarrados?
é que a tinta do carimbo acabou e
a próxima remessa está datada
para daqui dez dias

PUTA-QUE-LHE-PARIU!
PEGUE A CANETA, O CARIMBO, O CARALHO
ENFIE NO OLHO

afoguei-me
por não saber nadar

23 de novembro de 2009

"Burgueses e Proletários"

Essa HQ surgiu de uma atividade de estágio de licenciatura que eu e meu compaheiro Bruno tinhamos que preparar para dar uma aula sobre Revolução Russa. Logo decidimos por criar uma historinha adaptando a primeira parte do Manifesto Comunista do Marx e do Engels para uma linguagem compativel a 8ª série. Achamos que se temos que ensinar algo para a criançada de uma escola pública é que existe a luta de classes e que nem sempre foi assim, não se pode naturalizar a merda da sociedade de hoje, se não, como poderiamos resistir a ela. Alguns podem falar em aula de ideologia... felizmente, prefiro isso a continuar vomitando verdades planificadas às crianças. Agradeço especialmente ao Bruno que tem todo o mérito pela adaptação do roteiro sem vulgarizar demais o conteúdo.


22 de novembro de 2009

No Caracol


Sem pestanejar pegou sua casa e saiu mundo afora, nada na cabeça, para isso não poderia ter preocupações, se não, não faria, não havia sentido fazer, resolveu ser incoerente com tudo o que pregara até então, contudo estava feliz como nunca, sabia que não seria nada fácil, sua casa era mais pesada do que tinha calculado, era um amontoado de tranqueiras que só faziam trazer lembranças boas ou ruins, na verdade com o tempo as lembranças ruins também transformaram-se em boas pois foram aceitas como parte de um todo maior que é o presente, que em si não existe, mas que não cabe aqui divagar por essas besteiras, já que estava com o pé na rua, no asfalto quente de verão com sol a pino, e o suor já brotava na testa, a casa pesava como nunca, nela os talheres dentro das panelas balançavam como chocalhos num ritmo sincopado de samba, ele ia dançando sorridente apesar do peso que lhe doía nos ombros, a mesa arrastava-se de um lado a outro da cozinha que tinha leite no chão, pois a caixa aberta caíra quando este tropeçou em uma pedra, no toca discos disparou uma música estridente, um rock psicodélico dos fins da década de sessenta, o disco que ele mais gostava, e que acabou riscado, já ficava emputecido com tudo isso, não tinha que carregar tudo isso para sobreviver, as roupas no corpo já bastavam, queria explodir a casa que agora era um fardo sem propósito, uma coisa inanimada que não iria trazer-lhe nenhum prazer, decidido, parou, sentou, e tirou a casa das costas, finalmente livre...


Mas caracóis morrem sem suas casas.

Grilo


O Grilo nada mais é que uma das minhas personagens favoritas. É preguiçoso, folgado, fica o dia inteiro deitado no sofá fazendo elucubrações decisivas para o futuro da humanidade, é quase um revolucionário, crítico e sonolento.

19 de novembro de 2009

Karl Marx

Não há como negar: quem faz algum tipode ciências humanas em alguma faculdade do Brasil é obridado a se deparar com o bom velhinho, o Marx... assim sendo, mostro aqui minha versão desse carinha que é bom de papo e de materialismo histórico. Apenas mais um diálogo com o querido Flóqui (ricardofloqui.blogspot.com).







Miséria #02

Eis o desenho original para a capa da revista Miséria #02, lápis meu e arte final com a técnica requintada de palitinho de fósforo queimado de João da Silva.


18 de novembro de 2009


Freud e Marx resolvendo suas rixas no boteco.


(se é que eles têm rixas...)

Capitão Presença

O Capitão Presença criado pelo Arnaldo Branco é um personagem muito legal, quando eu desenhava para O Cantineiro, fiz esse desenho com o Cantineiro junto da família Presença.

17 de novembro de 2009

1000 Platôs (mais um)



Eis o último desta leva... outros virão... eu acho...

1000 Platôs (continuação da merda toda...)









1000 Platôs

A série 1000 Platôs surgiu da idéia pós-moderna de tentar explicar o mundo através das tirinhas, e as tirinhas através de palavras, e as palavras através de... ahhh!!! que merda... é tudo uma grande bosta... se qu iser ler leia, se não pouco importa...







Conectando...

Quem diria não, sempre fui relutante com essa brincadeira de blog e tal... mas agora essa vida se faz necessária e aí vamos nós...

Depois d'O Cantineiro (ocantineiro.blogspot.com), que continua deixando saudades no coração, agora é a hora da revista Miséria dar as caras (miseriahq.blogspot.com) e com isso, um blog pessoal pra fazer bonito e conseguir contratos milionários sem precisar de mais ninguém.

Espero que eu tenha tempo para atualizar sempre que possível... e se alguém quiser patrocinar o blog, com cerveja ou o que seja, é só mandar um e-mail maroto: batata.noiz@yahoo.com.br

E que tudo dê certo, dentro do possível e do inimaginável...