Batata Sem Umbigo

30 de agosto de 2011

Projeto

Moçada, por hora, vou deixar de publicar nesse blog, a não ser coisas a toa... me dedicarei a um projeto longo que não sei até onde vai dar... "Caverna do Dragão: 15 anos Depois"...
Continuarei publicando no http://miseriahq.blogspot.com/
Abraços

15 de agosto de 2011

X-Men e a Contradição Material


(Páginas retiradas de Surpreendentes X-men Vol. 01 - Surperdotados - edição especial encadernada)

9 de agosto de 2011

Mais cartazes (de novo... isso é falta de criatividade...)

Proposta inicial de desenho para o cartaz do terceiro Mostra Luta, que aconteceu o ano passado. O Denis, bróder que finalizou o trampo, deixou o fundo todo preto, e o cartaz melhorou pacas... o desafio é criar um novo desenho para o Mostra desse ano...

4 de agosto de 2011

Zine

Eis a capa do meu novo zine, Batata's Life: o que fazer com seu tempo livre... palavras-chave: Sandy + anal.

3 de agosto de 2011

Camiseta

Recuperei a pouco o arquivo com esse desenho que fiz para a camiseta da Calourada do IFCH de 2009... um desenho que curti muito fazer e que estava perdido...

1 de agosto de 2011

29 de julho de 2011

Cartazes Banda Soul na Goela


Dois cartazes que fiz para a Banda Soul na Goela, do camarada Feto.

20 de julho de 2011

Leituras - parte 5


Eu sempre ouvi falar sobre o Joe Sacco e o lance que ele "inventou", jornalismo em quadrinhos... Antes de ler os livros mais cultuados, li O Derrotista, coletânea de quadrinhos de Sacco feitos antes dele fazer sucesso... gostei muito, mas não tanto para idolatrá-lo. Aí eu peguei Uma História de Sarajevo para ler, e devorei, com cuidado, atentando para cada detalhe, estudando cada composição de página, me deliciando...O mais importante para se entender sobre esse gibi, é que ele não é uma história geral sobre os conflitos separatistas após o desmembramento da ex-Iugoslávia, mas sim o ponto de vista de uma pessoa envolvida de corpo e alma no conflito, com opiniões próprias, falhas de caráter, e que no fundo no fundo, é um zé-ninguém jogado em meio a um conflito. Este cara é o Neven, um soldado, bonachão, esperto, e pronto para tirar proveito das situações.

Sacco acompanha Neven e registra suas palavras, acredita em suas versões, e tenta a todo tempo entender a complexibilidade dessa figura anti-heróica, enquanto desembolsa grana para pagar os caprichos de Neven, que por sinal, geram situações engraçadíssimas ao longo da HQ. Uma das cenas mais chocantes da história, é quando Sacco adentra a casa onde Neven mora com sua avó, a cena vista de cima, revela uma sala completamente bagunçada e suja, uma senhora deitada em um sofá podre, Joe tentando desviar dos objetos caídos no chão, enquanto Neven diz: "Não se preocupe, ela é cega".

Com o desenrolar da história, Sacco busca outras fontes sobre o conflito, e as informações começam a contrastar com o relato de Neiva... essa contradição jornalistica irrompe como característica fundamental ao trabalho de Sacco, pois o seu jornalismo não é algo inerte, compilação de dados e análises fúteis... é antes de tudo um bom papo com seres humanos, que faz surpreender ao leitor, suas inconclusões.

19 de julho de 2011

7 de julho de 2011

1 de julho de 2011

28 de junho de 2011

Piratas do Tietê #1



Casualmente encontro em um sebo de Ribeirão. Obra prima...

27 de junho de 2011

HUMANOS

A invensão da questão social referente ao trabalho sempre se impôs no ditame das conquitas dos trabalhadores enquanto sua luta diária pela sobrevivência, se no tocante do início da formação de uma sociedade capitalista, ela se deu como um tipo de resistência passiva, na qual os mendigos eram forçados a trabalhar para poderem existir, ao longo do advento de uma sociedade salarial, essa resistência foi aos poucos se transformando em luta ativa contra as configurações perversas do capital. A luta por direitos representou o espectro de uma unidade em meio a categorias tão diversas de trabalho, o que exigiu a criação de um direito diferenciado daquele normativo, referente a simples organização da sociedade. O direito trabalhista, assim como a criação de uma Justiça específica para lidar com o desenvolvimento da organização do trabalho demonstraram a necessidade do capitalismo em ceder alguns espólios aos trabalhadores organizados. O desenvolvimento da indústria, aliado ao progresso tecno-científico da maquinaria resultaram num duplo movimento sem precedentes à organização dos trabalhadores: ao passo que alienava cada vez mais o trabalhador do processo produtivo, separando iguais e os colocando em conflito, também colocou a disposição destes cada vez mais mercadorias selecionadas ao seus poderes aquisitivos. Logo o trabalhador não conseguiria ver para além de sua própria esteira rolante, seus direitos enquanto membro da cadeia produtiva, serviria apenas para resgatar aquilo que já lhe fora perdido. E assim, os trabalhadores perderam a união, ao não identificarem em seus semelhantes, pessoas iguais.

20 de junho de 2011

15 de junho de 2011

Eu, estudante universitário de merda


o estudante universitário de merda acorda tarde todos os dias, fuma um cigarro ainda deitado na cama enquanto observa o teto branco sobre sua cabeça zonza de sono, o estudante universitário de merda tem que levantar, toma um banho quente e veste uma roupa não tão limpa como gostaria, mas dentro dos padrões estudante-universitário-de-merda-pseudo-hippie-junk-bebado-drogado-com-sono, o estudante universitário de merda vai até a cozinha, fala besteira com seus amigos, outros estudantes universitários de merda, fila uma bóia, bebe um café, e vai em busca do conhecimento que tinha que ter adiquirido há um mês, mas não adiquiriu, porque precisa fazer um trabalho acadêmico de merda sobre a questão do direito trabalhista com a flexibilização recente do trabalho no brasil, o estudante universitário de merda percebe que a coisa não vai ser fácil, pega cinco livros na universidade de merda em que estuda e sente o peso literal do conhecimento em suas costas, e um conforto hipócrita por estar tentando, o estudante universitário de merda vai pra sua casa num frio sem precedentes, dores no corpo, na cabeça, nariz escorrendo, tosse, lembra que tem um milhão de coisas para fazer, amanhã, depois de amanhã, na semana que vem, no mês que vem, na vida que vem, o estudante universitário de merda quer chegar em sua casa, beber uma grande dose de conhaque e dormir até tarde, mas não pode, tem que produzir um trabalho acadêmico de merda, uns desenhos militantes de bosta e ainda coexistir com suas amizades no facebook.

(uma singela homenagem ao colega arthur, retrato por pierce)

9 de junho de 2011

Monstro Eduardo e Mônica


Propaganda, deturpando o sentido das coisas...
Renato Russo contorcendo-se no caixão.

8 de junho de 2011

4 de junho de 2011

Cenas de um Casamento

O detalhe do olhar de Marianne (Liv Ullmann) para o espectador choca. O vazio de sua mente diante o fim de seu casamento com Johan (Erland Josephson) incomoda. Este é apenas um momento de um dos melhores filmes que se pode encontrar por ai. Simples e devastador é o segredo de Bergman ao realiza-lo. Não a respostas fáceis, e ao fim do filme um certo sentimento de impotência pode tomar a alma desapercebida. Estão em jogo não só a instituição do matrimonio, mas o amor, o medo, a solidão, a descoberta, o sexo, a paixão, as aparências, e principalmente, o que é ser um homem e o que é ser uma mulher nos dias de hoje, que me deixa sem palavras.

Título Original: Scener Ur Ett Äktenskap
Gênero: Drama
Duração: 299 min.
Ano: 1974 (Suécia)
Direção: Ingmar Bergman
Roteiro: Ingmar Bergman
Distribuição: Versátil Home Vídeo

2 de junho de 2011

Soluços


HQ publicada em 2009 no Fanzine #02


1 de junho de 2011

Pepinos me mordam!


"Governos europeus trocaram acusações na terça-feira enquanto lutam para encontrar a fonte do surto de E. coli que já matou 16 pessoas e deixou mais de mil doentes na Alemanha, Suécia e outros países.

A bactéria mortal foi ligada a princípio a pepinos contaminados da Espanha que foram importados pela Alemanha, mas as autoridades alemãs admitiram nesta terça-feira que os testes mais recentes mostraram que os pepinos não carregavam a cepa da bactéria mortífera ligada ao surto.

"A Alemanha reconhece que os pepinos espanhóis não são a causa", disse o secretário alemão da Agricultura, Robert Kloos, nos bastidores de uma reunião de ministros da Agricultura da União Europeia na Hungria.

Mas a norte-americana Administração de Alimentos e Fármacos (FDA, na sigla em inglês) declarou que os carregamentos de pepinos e outros alimentos cultivados na Espanha estão sendo investigados por autoridades de saúde dos EUA mesmo assim.

"Por conta da informação recebida sobre o surto na Alemanha, a FDA está inspecionando os carregamentos de pepinos, tomates e alfaces da Espanha", disse Doug Karas, porta-voz da FDA.

O surto, um dos mais abrangentes do tipo, já causou tensão diplomática entre a Alemanha, Espanha, França e Rússia. Moscou proibiu a importação de alguns vegetais e ameaça estender a proibição a toda União Europeia.

A ministra espanhola da Agricultura, Rosa Aguilar, criticou a reação inicial da Alemanha.

"A Alemanha acusou a Espanha de ser responsável pela contaminação de E.coli em seu território, e o fez sem provas, causando dano irreparável ao setor produtor em nosso país", afirmou ela.

A mídia espanhola relatou que Alemanha, Dinamarca, República Tcheca, Luxemburgo, Hungria, Suécia, Bélgica e Rússia estão bloqueando a entrada de pepinos espanhóis.

A fonte exata da cepa virulenta da bactéria ainda é desconhecida.

Cientistas dizem que as suspeitas sobre vegetais ou saladas como possível fonte são bem fundamentadas, já que o adubo de gado usado em fertilizantes pode hospedar o E. coli.

"O E. coli pode se colar à superfície de muitos produtos frescos, como folhas de alface, de espinafre e em pepinos. Este tipo de E. coli sobrevive a condições ambientais mais severas... e produz algumas toxinas terríveis para os humanos", disse Brendan Wren, da London School of Hygiene & Tropical Medicine.

Especialistas de saúde do Centro Europeu para Prevenção e Controle de Doenças, sediado em Estocolmo, (ECDC na sigla em inglês), que monitora doenças na UE, identificaram a doença como síndrome hemolítico-urêmica (HUS na sigla em inglês), uma complicação séria de um tipo de E. coli conhecido como E. coli produtora de toxina Shiga (STEC na sigla em inglês).

Os fazendeiros espanhóis estão perdendo cerca de 200 milhões de euros por semana como resultado da perda das vendas. Aguilar disse que Madri pedirá "medidas extraordinárias para compensar as enormes perdas impostas ao setor espanhol".

O surto, que teve início em meados de maio, deixou mais de mil pessoas doentes até agora na Alemanha, além de pessoas da Espanha, Suécia, Grã-Bretanha, Dinamarca, França e Holanda que estiveram recentemente em território alemão."

(Fonte: Yahoo!)

23 de maio de 2011

21 de maio de 2011

Leituras - parte 4

Que o Warren Ellis é um puta escritor de quadrinhos eu já sabia, conhecia seus trabalhos com super-heróis de longa data, mas me surpreendi demais com essa HQ. Red é viceral. Violento e rápido, leitura de meia hora para os desatentos, e de muitas horas para os detalhistas. A composição das cenas de ação, silenciosas até o estourar de um projétil. Sem dúvida, não é uma história que apela para a moral cristã, a personagem principal é um assassino, e um assassino dos bons, que só queria ser deixado de lado, não queria mais nenhum contato com outros seres humanos, pois esse simples contato já lhe trazia lembranças de seu passado maculado de sangue. Red traz uma crítica simples ao sistema bélico norte americano, e de como os Estados Unidos age para limpar suas sujeiras, as atrocidades ficam subentendidas, a HQ é uma história de vingança e de ódio. Os desenhos de Cully Hamner são lindos e casam bem com a narrativa, fazendo desse gibi um ótimo exemplo de que para se contar uma boa história de ação não se precisa gastar uma infinidade de páginas.

ps: o filme baseado na HQ que tem Bruce Willis como ator principal é pífio, transformou tudo que tinha de bom no roteiro em ação-pastelão de Hollywood - ou seja, uma merda!

17 de maio de 2011

O Amor segundo Foucault


"Pode-se perfeitamente amar sem que o outro ame. É uma questão de solidão. É a razão pela qual, em algum sentido, o amor é sempre cheio de solicitações de um para com o outro. É aí que está sua fraqueza, porque pede sempre algo ao outro, enquanto que, no estado de paixão entre duas ou três pessoas, há algo que permite comunicar intensamente."

(Michel Foucault)

16 de maio de 2011

O Amor segundo Deleuze

"Não existe amor que não seja um exercício de despersonalização sobre um corpo sem orgãos a ser formado; e é no ponto mais elevado desta despersonalização que alguém pode ser nomeado, recebe seu nome ou seu prenome, adiquire a discernibilidade mais intensa na impressão instantânea dos múltiplos que lhe pertencem e aos quais ele pertence."

(Giles Deleuze)

11 de maio de 2011

Batata (na estrada) indica!


(Essa imagem foi tirada daqui)

Galera que vamos conhecer amanhã em Brasília, na Unb, e que vão garantir a disseminação da Miséria em sua lojinha.


8 de maio de 2011

Reflexão


Estarei fora essa semana, então fiquem com essa reflexão.

5 de maio de 2011

Fanzine - Post-Scriptum sobre as sociedades de controle


Fanzine publicado em meados de 2008, época em que eu morava com o João da Silva e começávamos a pensar na criação de uma revistinha em quadrinhos. Na época bebíamos muito e estavamos de saco cheio de trabalhar.