Batata Sem Umbigo

28 de março de 2013

Pessoas felizes...

Não é de hoje, mas muitas pessoas falam pra mim que eu não consigo desenhar pessoas felizes, meus personagens são ou estão sempre tristes, na merda, na foça, na desgraça... Não sei porque, acontece, eu pego o papel e começo a rabiscar, o desenho sai daquele jeito, não tem como evitar. 

Não que isso esteja tirando meu sono, imagina, coisa boba... mas vem me fazendo pensar muito, e então, acometido de uma insônia tremenda, de um copo de conhaque e meio maço de cigarros, resolvi me esforçar... e olha o que saiu:


































Não tem como negarem, essas pessoas estão FELIZES!!! Olhem como elas riem, gargalham, sorriem... É muito reconfortante desenhar coisas assim, me faz lembrar um texto de um miserável que conheço:

"na foto todo mundo pousa rindo

um monte de gente olhando pra câmera e rindo

mas eu sei que todo mundo fala mal de todo mundo ali

tudo bem, vai, talvez eu esteja exagerando

a terceira mulher da esquerda pra direita nunca falou mal do quinto homem da direita pra esquerda

e talvez aquela sexta pessoa que mal dá pra identificar - aquela pessoa atrás da loirinha - também tenha o estranho hábito de se calar nos momentos de se falar de terceiros

mas está todo mundo tão feliz na foto

tão feliz

...

olhando prum objeto inventado não sei quando

um objeto que registra um momento e o guarda para sempre

ou só por instante muito curto porque agora é só apagar ali mesmo no segundo posterior em que estava todo mundo feliz

todo mundo tão feliz

na foto

felizes

naquela foto

na terceira vez em que posavam com seus dentes amostra o careca teve uma vontade de cagar incontrolável

por isso que ele nem saiu na quarta foto em que todos novamente sorriam"

E se vocês querem saber do que essas pessoas riem, com tanta alegria... provavelmente é da cara de vocês que lêem essas linhas... só pode ser...

Agora espero poder continuar desenhando meus amiguinhos tristes, a cota de felicidade do ano já foi...

Bom futuro...


26 de março de 2013

22 de março de 2013

"Sim, meu bem, eu te amo."





































Para ler mais de Fernanda Paz é só acessar: http://animalsentimental.wordpress.com/

21 de março de 2013

Crianças





Leitores desse blog de quadrinhos, a vida tá corrida e está difícil de ter tempo para desenhar com a assiduidade necessárias (mas contínuo desenhando, só que devagar), por isso, fecho essa semana com a última HQ inédita que foi publicada no livro Refluxo.

A partir da semana que vem espero voltar com materiais realmente inéditos...

Vamos que vamos...

19 de março de 2013

Mecenas



































HQ originalmente publicada no livro Refluxo.

Essa Hq tem uma história, surgiu de uma conversa pela internet com o cartunista e vagabundo João da Silva, quando este se encontrava longe e eu precisava desenhar algumas páginas para completar o livro Refluxo. Eu estava proseando com o João sobre como seria muito, mas muito bom mesmo, se eu arranjasse um mecenas para me sustentar, e para finalmente, com isso, realizar o sonho de trabalhar só com quadrinhos, me mudar para uma cidadezinha do interior de qualquer lugar, onde tenha apenas um boteco e no mínimo acesso a internet para eu trabalhar... sonhos...


12 de março de 2013

Campanha: "Ajude o Batata a sair do prejuízo!!! - compre 1 Refluxo AGORA"



































Salve salve amiguinhos e amiguinhas...

como todos devem saber, a vida de cartunista não é fácil, e a empreitada de lançar um livro de quadrinhos, de um autor desconhecido (no caso, eu) por uma editora pequena (no caso a editora do CEMOP, da Fábrica Ocupada Flaskô) é árdua e difícil... como concorrer com a Companhia das Letras, a Conrad, a Panini? Como concorrer com o Homem-Aranha, o Batman, o Crumb e tantos outros?

Não é fácil... mas desistir não é nosso lema, nunca.

O Refluxo foi lançado em dezembro de 2012, fizemos uma tiragem de 1000 exemplares, um número impansável para nossas condições. A tiragem teve o custo exato de R$ 10.800,00 e o prazo para pagar a gráfica já passou.

Para completarmos o pagamento, precisamos vender cerca de 300 exemplares a R$ 20,00...

E para isso criei essa campanha...

"Ajude o Batata a sair do prejuízo!!! - compre 1 Refluxo AGORA"

Pensem bem, se você já comprou esse livro, compre mais um, presenteie o seu melhor amiguinho ou amiguinha, dê o livro de presente para todos os seus parentes, você já pensou em presentear um estranho na rua? - essa é a oportunidade!!! A leitura faz bem!!!

Vejam algumas críticas que saíram por ai:

"Da manada fétida fuja como a ave estóica 
Quando o Batata me disse que ia publicar um livro das histórias mais longas e sem piada eu pensei: "Nossa, o Batata que segue a tradição ególotra dos quadrinhos de Harvey Pikar, Crumb, Angeli e Sibeber, vai publicar um livro só com a histórias em que ele não é o personagem, as pessoas mudam..." Ledo engano. Quando eu vi tava ele na capa do livro! Quando li vi também que ele aparece como personagem implorando por um mecenas que lhe sustente pra poder trabalhar ainda menos e beber mais." - João da Silva


"Batata, non creio que esquadrinhou o ''Poema em linha Reta'' do Pessoa! É meu salmo diário!" - Velha

Se você acha que vale a pena aderir a essa campanha, é fácil demais...

Deposite o valor do número de livros que você quer (cada um custa 20 reais) mais 5 reais para as despesas com os correios... na seguinte conta:

Rafael Gironi Dias
banco Bradesco
Conta Poupança:

1000276-1
Agencia: 3427-4

Mande o comprovante, ou número de depósito por e-mail para: batatasemumbigo@gmail.com junto de seu endereço para eu enviar o livro pra você... é fácil demais!!!!

Continuarei nas ruas vendendo o livro sempre que puder... eis a sina de um bom vendedor de quadrinhos...

Ajudar o próximo é sempre bom... compartilhem essa mensagem.

Muito obrigado pela paciência...

Batata - um cartunista desse Brasil Varonil!!!

11 de março de 2013

O Vazio de Vovó





































HQ originalmente publicada no livro Refluxo, e até então, inédita nesse blog.

5 de março de 2013

A Miséria de Tom Zé (por João da Silva)

(para compreensão da postagem os dois vídeos devem ser assistidos...)




VAI, TOM ZÉ, FOGE DAQUI
QUE A FELICIDADE VAI
ATACAR PELA TELEVISÃO!!!

E VAI FELICITAR, FELICITAR, FELICITAR, FELICITAR,
FELICITAR ATÉ NINGUÉM MAIS RESPIRAR!

E VAI FELICITAR, FELICITAR, FELICITAR, FELICITAR,
FELICITAR ATÉ NINGUÉM MAIS RESPIRAR!

E VAI FELICITAR
FELICITAR
FELICITAR
FELICITAR
FELICITAR ATÉ NINGUÉM MAIS RESPIRAR!



ACODE...

4 de março de 2013

50 Anos de Bira Dantas!!!

Que coisa linda... ontem, domingo (03 de março), o querido Bira Dantas completou 50 anos de vida, sendo que boa parte deles, dedicado aos quadrinhos e suas histórias... para comemorar essa data tão especial, várias exposições com os trabalhos do Bira terão lançamento em Campinas... eis a Birada Cultural!!!



A primeira vez que falei com o Bira foi por telefone, estávamos organizando o 3° Mostra Luta em 2010, e eu, junto do Coletivo Miséria erámos responsáveis pela vertente de quadrinhos da Mostra. Liguei para o Bira para saber se ele estava afim de participar de um debate junto de Carlos Latuff e o Coletivo Miséria sobre "Quadrinhos e Resistência", depois de um breve bate-papo, tudo fechado para o debate... eu ainda não conhecia o Bira pessoalmente, e como naquela época, não era comum a utilização de facebook, não sabia nem como era esse cabra.
Qual não foi minha surpresa, quando ao longo de uma oficina de quadrinhos realizada pelo Coletivo ao longo da Mostra no MIS-Campinas, aparece o dito cujo, com muitas risadas e bom humor... assistiu a oficina inteirinha... quem diria, o mestre vendo os novatos... foi muito interessante, ao fim da oficina, entregamos exemplares da revista Miséria pro Bira e ele nos presenteou com a seguinte carica:


Re-encontramos o Bira no dia do debate, estávamos Latuff, João da Silva e eu, esperando o pessoal chegar, daí apareceu o Bira com um convite irresistível, tomar uma cervejinha antes do debate - pra quem me conhece sabe que eu não resisto a esse tipo de convite, e tenho a tendência de considerar muito as pessoas que o fazem, principalmente quando pagam a conta - então tomamos umas 3 garrafas de breja, e fomos ao debate, encontramos o Flóqui, que lembro ter ficado triste por não beber também. Ao longo do debate, conheci mais das experiências de trabalho e de vida de dois grandes mestres do cartum brasileiro, e eles conheceram um pouco daquilo que era a Miséria, taxada no dia de "quadrinho barraqueiro".

Quando o Coletivo Miséria estava preparando seu quinto número, convidamos o Bira a participar, ele então enviou duas charges, que ilustram a 3° capa da revista. O tempo foi passando, o Bira chegou a enviar uma HQ de cinco páginas para o que seria a Miséria número 6, que nunca saiu da tela do computador.

No início de 2012, o Bira nos enviou um e-mail, falando que tinha votado na revista Miséria como melhor zine do ano para o 28° Prêmio Angelo Agostini... ficamos surpresos e começamos uma campanha para arrecadar votos. Resultado: acabamos ganhando o tal prêmio, e com uma votação "monstruosa" de acordo com o Bira. Fomos então, eu, Miguelito, Fábinho e Lícia para receber o prêmio, devidamente trajados com as plaquinhas "Vendo Miséria", organizamos uma algazarra, com as revistas miséria expostas em cima de um pano vermelho no chão do Instituto Cervantes, e mais uma vez observei o quão gente fina foi o Bira conosco naquele dia.

Depois disso muita coisa aconteceu, encontrei o Bira novamente em um bate-papo na Biblioteca Municipal de Campinas, junto com Mário Cau, Miguelito, Eduardo Ferigato e Paulo Ramos. Antes disso, por ser dia de meu aniversário na época, o Bira fez questão de me embreagar, e mais uma vez pagar a conta... ufa!, como podemos ver na foto abaixo:


Fora tudo isso, quando estava por lançar meu primeiro livro de quadrinhos, o "Refluxo" pela Fábrica Ocupada Flaskô, o Bira aceitou escrever o prefácio do livro, na camaradagem, escreveu um texto muito massa, e até me chamou de "radical" (será?)... para mim, isso foi muito importante, pois os dois posfácios do livro são de autoria de João da Silva e Ricardo Flóqui, os dois responsáveis por eu começar e continuar desenhando, e o Bira foi o cara que sempre incentivou toda e qualquer "mulecada" que começa a se aventurar pelos quadrinhos, uma vida não muito fácil, mas muito divertida...

Por fim, queria agradecer ao Bira Dantas por todo o apoio que ele sempre deu ao Coletivo Miséria, e depois aos desgarrados desse coletivo, parabenizá-lo pelos 50 anos de existência, e dizer que estamos ai, sempre juntos pro que der e vier...

É nois manu Bira!!!